O MELHOR CENTRO DE ESTUDOS EM FISIOTERAPIA DE ALAGOAS!

Noticias

Quem somos

10/05/2016

Qual a real importância do impacto na corrida?

Todo mundo já ouviu inúmeras vezes que o grande problema da corrida é o impacto no solo e que isso costuma machucar o corpo. É comum pessoas que tem problemas de coluna terem ouvido de seu ortopedista que evite correr justamente por causa do impacto. Esse conceito é tão forte que há décadas vem sendo fortalecido pela indústria de material esportivo que foca sua publicidade na capacidade de seus tênis absorverem impacto. Mas, será que o impacto representa um perigo real?

Quando visitamos a literatura que relata a incidência de lesões em corredores, vemos que absolutamente nenhuma lesão típica da corrida tem como fator etiológico o impacto. De onde se tira essa conclusão? Todas as estruturas anatomofuncionais que são responsáveis pela absorção de impacto e, portanto, poderiam sofrer com impacto excessivo não aparecem na lista de lesões em corrida. Essas estruturas são as cartilagens articulares, meniscos e disco intervertebral. Olha, atualmente já é quase um consenso que caminhada e corrida melhoram os sintomas de quem tem problemas na coluna. Estranho, não?

O que ninguém fala é da importância de uma outra força física que estudamos no segundo grau. A primeira lei de Newton, lembram? Covardia minha relembrar os tempos de escola, mas vou refrescar sua memória: a lei da Inércia. Pelo conceito de inércia entendemos que um corpo que está em movimento tende a continuar em movimento, salvo se uma força em sentido contrário se opor. Pois, bem, na corrida, ao atacarmos o solo existe uma aceleração do corpo em direção ao solo. Para não nos esborracharmos no chão o corpo precisa frear essa aceleração e isso é feito graças a ação muscular na pelve e membros inferiores.

Essa ação muscular de frenagem, a ação inercial, exige um tipo de contração muscular que costuma lesionar mais fibras musculares que os outros tipos de contração e jogam para tendões e fáscias maior carga para ser dissipada. Não podemos esquecer também que essas solicitações não acontecem uma ou duas vezes. A corrida é um esporte de repetitividade cíclica. Para você ter uma ideia, numa corrida de 10 km, você dará em média 8000 passos. Ou seja, a musculatura de cada membro inferior será requisitada 8.000 vezes para desacelerar seu corpo ao impactar no solo. Voltando à literatura sobre lesões de corrida vemos que as estruturas lesionadas são justamente essas que dissipam as forças geradas pela ação inercial.

Ui. É preciso mudar tudo que vem sendo falado sobre lesões em corrida. O impacto é um dos aspectos. Há inúmeros outros a serem abordados fora o impacto. Pouco a pouco vamos desconstruindo mitos e construindo um novo alicerce. Fatos que vão fazer você pensar: será que meu treinamento está sendo feito da forma correta?

Fonte: inteligenciamotora