O MELHOR CENTRO DE ESTUDOS EM FISIOTERAPIA DE ALAGOAS!

Artigos

Quem somos

30/03/2017

Microcorrente

Hoje o assunto é eletroterapia

MICROCORRENTE :

A microcorrente vem sendo cada vez mais utilizada para diversas patologias, com vantagens superiores quando pensamos em terapias minimamente invasivas e menos sensorial do que outras correntes terapêuticas.
Desenvolvida em 1982 e conhecida como Microcurrent Eletrical Neuromuscular Stimulation (MENS), é um tipo de eletroestimulação que utiliza correntes com parâmetros de intensidade na faixa de microamperes, sendo de baixa freqüência, podendo apresentar correntes contínuas ou alternadas . Sua corrente é medida em microamperes (mA).

Segundo Kirsch e Mercola (1995), a duração de pulso das microcorrentes é maior que outros tipos de eletroestimulação, como por exemplo o TENS. Um pulso de microcorrente é de aproximadamente de 0,5 segundo, que cerca de 2500 vezes maior que um pulso típico de TENS.

Os controles de intensidade normalmente permitem um ajuste de amplitude em torno de 10 a 1000μA. Os controles de freqüências permitem ajusta-la de 0,5 Hz a 900 Hz ou em até 1000 Hz (Robinson e Snyder-Mackler, 2001).

EFEITOS FISIOLÓGICOS:
• Aumento das funções de permeabilidade seletiva, transporte ativo e passivo, osmose, difusão, endocitose, exocitose pelas membranas celulares, favorecendo a ativação do metabolismo celular;
• Aumento em até 500% da produção de ATP utilizando-se intensidades entre 50 e 1000 mA.
• Aumento do nº de fibroblastos com melhoria na reorganização de fibras colágenas, reticulares e elásticas dentro dos tecidos;
• Aumento da síntese de proteínas;
• Aumento de 30 a 40% no transporte de aminoácidos;
• Melhoria da captação de oxigênio local;
• Aumento das trocas iônicas;
• Melhoria do tônus muscular;
• Intensificação da circulação sangüínea e linfática nos plexos vasculares dérmicos superficiais e profundos;
• Redução do nº de microorganismos patogênicos com conseqüente redução do processo infeccioso;
• Aumento da velocidade de síntese dos tecidos de reparo na cicatrização;
• Melhoria da qualidade do tecido cicatricial produzido em queimaduras e demais lesões cutâneas.

EFEITOS TERAPÊUTICOS: Analgesia – Acelera reparo tecidual – Anti-inflamatório – Bactericida 

Fonte:  Dr. Leonardo Emery Costa | Fisioterapeuta ( Crefito1 216478F )