COMO ESCOLHER O TÊNIS IDEAL?

COMO ESCOLHER O TÊNIS IDEAL?

Em primeiro lugar, é preciso entender que os tênis de corrida, em geral, são agrupados em cinco categorias: estabilidade, controle de movimento, amortecimento, performance e trilha. O que de fato vai nos interessar são as três primeiras categorias.

CONTROLE DO MOVIMENTO

– São os mais rígidos.

– Geralmente, são mais pesados, mas muito duráveis, e têm solado plano para oferecer maior estabilidade e suporte. 

– Você deve preferir este tipo de tênis caso tenha um grau de pronação muito acentuada

 

ESTABILIDADE

– Estes tênis possuem uma boa estabilidade, mas não deixam totalmente de lado o amortecimento. Amortecem o impacto, pelo menos no calcanhar, e sua estrutura procura minimizar o movimento de pronação, estabilizando o pé após seu contato com o solo. 

– Geralmente indicado para pronadores leves a moderados, mas corredores neutros e supinadores leves podem optar por modelos dessa categoria, desde que o nível de amortecimento seja adequado ao seu peso.

– Solado semicurvo.

AMORTECIMENTO

– Amortecimento: está do outro lado do espectro em relação à categoria Controle de Movimento. 

– Tem como principal objetivo amortecer o impacto com o solo. 

– Os supinadores, que normalmente têm o pé mais rígido (e portanto menos eficiente como amortecedor natural), vão encontrar aqui os modelos mais adequados. Corredores de pisada neutra também podem se satisfazer com esse tipo de tênis.

– Solado curvo ou semicurvo para estimular os movimentos dos pés. 

LESÕES QUE PODEM OCORRER, CAUSADA POR SUPINAÇÃO OU PRONAÇÃO EXCESSIVA. 

Lesões por Supinação excessiva

– Entorses por inversão do tornozelo.

– Síndrome do estresse tibial medial

– Tendinite dos fibulares. 

– Síndrome do atrito no trato iliotibial. 

– Bursite trocantérica.

– Fratura por estresse do 5º metatarso 

Lesões por Pronação excessiva

– Fratura por estresse do 2º metatarso

– Joanete. 

– Fasciíte plantar. 

– Tendinite do tibial posterior. 

– Tendinite do tendão de Aquiles.

– Síndrome do estresse tibial medial (sóleo e tibial posterior).

– Dor na parte medial do joelho. 

– Subluxação do cubóide.

– Síndrome do túnel do tarso.

Fonte:  Dr. Leonardo Emery Costa | Fisioterapeuta ( Crefito1 216478F )